Followers

The 4 Candles

Maukie - the virtual cat

De credito aoende credito e merecido...

Os textos aqui colocados amaioria encontardo na internet , alguns com autoris desconhecidos ou enviados por email pelos membros. caso voce , conheca o autor de alguns por favor ajude nos adar Credito , aos autores, eles merecem.caso alguns desetes textos sege seu e nao queira que sege publicado na rede, por favor avise ao dono da REDE e sera excluido. obrigada e agradeco a colaboracao de todos. Opatcha. Que o povo cigano ilumine os seus caminhos e lhe traga abonanca sempre.
Gipsy Red Rose.

Free Astrology Chart Generator

Thursday, December 2, 2010

O Povo Cigano- Minas Gerais


Em Minas Gerais existem cerca de 430 mil ciganos, dos quais 27% não possuem registro, não tendo acesso à educação, ao emprego nem à benefícios governamentais. O “Cidadania dos Ciganos” realizará eventos em forma de mutirão em 80 municípios mineiros e percorrerá aproximadamente 25 mil km. Segundo o presidente do Centro de Cultura Cigana, Zarco Fernandes, informações: 2129-6000 / 2129-6031 - centrodetradicoesciganas@yahoo.com.br. Cultura Cigana - uma cultura marginalizada, até no dicionário. Demonstrando o forte preconceito em nossos dicionários brasileiros, marginalizando o cigano, reproduzimos abaixo alguns parágrafos da matéria publicada em 12/06/2006 - Cultura - Cigano, sim, com orgulho - pela AREDE (*17). “Seja nas ruas, seja nas páginas dos dicionários, os ciganos querem mudar esse estigma” diz o representante cigano Lino Bocchini. (*17) Uma das maiores brigas da União Cigana do Brasil, fundada em 1990, no Rio de Janeiro, é para mudar a definição da palavra “cigano” nos dicionários. Até 1988, a definição do Aurélio continha sinônimos como “trapaceiro” e “velhaco”. As edições seguintes foram amenizando as definições – segundo Vacite, por pressão de sua entidade. Na edição corrente do Aurélio, após a definição do povo cigano, o único sinônimo que pode gerar polêmica é “negociante esperto, vivo”. Bem mais leve do que o dicionário Houaiss, que, em uma de suas definições, classifica cigano como “aquele que trapaceia; velhaco, burlador” ou ”agiota, sovina”. O dicionário Michaelis, por sua vez, registra esses e outros termos ainda mais pesados. (*17) Personalidades Ciganas Mais alguns parágrafos da matéria publicada em 12/06/2006 - Cultura - Cigano, sim, com orgulho - publicada pela AREDE (*17), serão reproduzidos aqui porque apresentam uma série de figuras públicas e afirma que elas têm origem cigana. Vacite e Percínia, dois representantes da cultura cigana, afirmam que muitos são os ciganos famosos, mas habitualmente eles evitam ou ocultam esta informação. Citam o palhaço Carequinha, a cantora Rosana, o cantor Sidney Magal, o trapalhão Dedé Santana, o músico Zé Rodrix e, fora do Brasil, o poeta Federico García Lorca e até os astros hollywoodianos como Charles Chaplin e Rita Hayworth. (*17) Nenhum citado assumiu-se cigano. Nem o mais poderoso deles, segundo os representantes ciganos: Juscelino Kubitschek, que seria neto de ciganos europeus. “Dois estudiosos da cultura cigana, o historiador Rodrigo Corrêa Teixeira, da Uni-BH, e o antropólogo holandês Frans Moonen, afirmam que JK não só era cigano como chegou a ter encontros com comunidades mineiras. Lá em Minas, todos os ciganos sabem, é só ir lá perguntar”, garante Mio Vacite. (*17) “Eu só queria que o povo entendesse que a cultura cigana é uma cultura séria, e não de gente que pega dinheiro dos outros”, lamenta Percínia que quer divulgar sua verdadeira cultura. (*17) Os representantes ciganos do Rio de Janeiro identificam dois momentos de grande importância para a valorização cultural cigana no Brasil: . o desfile da escola de samba carioca Viradouro, em 92, com o samba-enredo “E a Magia da Sorte Chegou” . e a novela da TV Globo “Explode Coração”, exibida entre 1995 e 96. Escrita por Glória Perez, a trama, que contava com um “núcleo cigano”, é considerada divisor de águas pelos ciganos brasileiros. (*17) Museu da Cultura Cigana Muito importante divulgar o primeiro museu brasileiro da Cultura Cigana. Talvez seja o primeiro e único no mundo. Para conhecer um pouco sobre esta iniciativa, vamos reproduzir, na íntegra, a matéria publicada em 6/10/2007 - Cultura cigana ganha museu no Brasil, pela Maxpress Net, Jornal Novas Técnicas (*18). Uma iniciativa espetacular! O museu destaca por meio de grandes telas e painéis em impressão digital, a história dos diferentes povos ciganos além de retratar o quanto essa cultura influenciou a música, as artes, a culinária e as danças em diferentes povos. 

No comments:

Post a Comment

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
There was an error in this gadget